Medicina Psicobiológica

APRESENTAÇÃO

A Formação Internacional em Medicina Psicobiológica foi pensada a partir de uma aliança entre a EBRAFIM e a AAMEPSI (Associação Argentina de Medicina Psicobiológica) – www.aamepsi.com.

A EBRAFIM é uma escola que tem como atividade principal oferecer educação continuada para estudantes e profissionais da área da saúde ou qualquer pessoa que se interesse em conhecer um pouco mais sobre os mistérios do corpo humano.

 

POR QUE ESTUDAR PSICOBIOLOGIA?

Com base nas 5 leis do Dr. Hamer, da Nova Medicina Germânica, a Medicina Psicobiológica apresenta uma nova proposta para compreensão e tratamento da relação entre traumas emocionais e qualquer tipo de manifestação celular.

As disciplinas científicas como a física, o estudo dos sistemas complexos não lineares, permitem nos entender a complexidade de um "todo", incluído no conceito de campo único, podemos dizer com certeza que o observador e o observado estão interagindo de forma permanente. football today

Ao abordar estas redes complexas, como seres humanos, descobrimos que o todo é mais do que a soma das suas partes, e uma das coisas que define a complexidade são as suas propriedades emergentes. A doença, seus sinais e sintomas, já não como um fato isolado, porém como o emergente da complexidade e a evolução.

Como terapeutas, esse conceito coloca-nos em uma encruzilhada, faz repensar nosso conhecimento e agir. Pode passar despercebido e continuarmos atuando como observadores independentes do que observamos. Se nos sentirmos parte do processo observado, onde a intenção, ouvir, interpretar, falar e agir vão desempenhar um papel ativo na pessoa que consulta e em nós, vamos gerar novas percepções que irão mudar e enriquecer nossas ações como terapeutas e pessoas.

Compreender a evolução e com ela o surgimento do ser humano como unidade emergente integrada pelos órgãos, o cérebro e o psiquismo, faz repensar o conceito de doença vista como um erro. A capacidade para o trabalho, a necessidade de saber para transformar e o surgimento da linguagem, eleva-nos e coloca-nos um degrau acima do resto dos animais.

Já não se trata só de sobreviver como no reino animal, mas de incluir o conceito de convivência. Surge também o pensamento, a consciência e junto com isto o "amor pela sabedoria" ou filosofia.

Ser capaz de incluir estes conceitos, e mais, como os mandados (biológicos, familiares e de gerações), diferenciar doenças (comuns e arquetípicas), compreender o comportamento das doenças (territoriais e predadoras) aumenta a nossa capacidade de "ouvir" e, assim, entender a "linguagem" psicobiológica para ajudar os nossos pacientes e enriquecer as nossas vidas.

Poder compreender e incluir ao outro, juntamente com a construção de "frases para curar", torna-se um novo fato  terapêutico e abre a possibilidade de complementar a nossa prática diária.

 

Dr. Fernando Callejon e Dr. Diego Paillole – Parte 1

http://www.youtube.com/watch?v=soGj7Lm9T28 

 

Conferência sobre Diabetis

http://www.youtube.com/watch?v=5E3IeBLdFNM

 

SECRETARIA EBRAFIM - FALE CONOSCO (CLIQUE AQUI)

Desenvolvido por: Agência Digital, publicidade e propaganda de Presidente Prudente.
Todos os direitos reservados.